Arthur o homem do cinema

Arthur o homem do cinema
Tinha eu chegado a pouco tempo a suíça, quando conheci o meu amigo Arthur que tinha na altura 60 anos, ele trabalhava nas obras e conhecemo-nos a entrada do cinema, nos WCs. Eu estava a entrar no WC do cinema quando deparei com ele a se masturbar, achei piada e dei uma gargalhada, como estava com muita vontade de urinar, dirigi-me o urinol e urinei, Arthur estava um pouco sem graça pois não contava comigo lá, mas como se apercebeu que não me fez confusão continuou a olhar para mim, eu olhei olhos nos olhos para ele e dei um sorriso, sai do WC e dirigi-me para a bilheteira. é claro que ele também saiu logo atras de mim e também foi para a bilheteira, tirou o bilhete para ver o mesmo filme que eu e seguiu-me para se sentar o meu lado. O início não achei piada, mas ele como estava na dele e eu na minha ignorei, assim que as luzes se apagaram, ele encostou a cara dele o meu ouvido e pediu desculpas, eu logo olhei para ele e disse que não era grave que já tinha passado. Ficamos a ver o filme até o intervalo, assim que chega o intervalo dirigi-me o bar, ele também estava lá, derigeu-se a mim e perguntou se podia me falar, eu acenei com a cabeça que sim e sentamo-nos em uma mesa, lá ele mais uma vez me pediu desculpas, que não deveria ter feito aquilo, eu com um sorriso disse, (pena pois tem um bom material), Arthur ficou com os olhos a brilhar, contente por eu falar assim de seu pénis, pois era verdade ele tinha um pénis grande e grosso, eu sempre tive atracção por mulheres mas também apreciava um belo caralho, eu tinha só 20 anos mas algum tempo antes, tinha feito oral com outro homem, e não tinha desgostado.

Começou a puxar conversa, eu como tinha chegado a pouco a suíça, ainda não tinha feito amizades com ninguém, dei conversa o Arthur, perguntando-me de onde vinha etc., começou a falar da imigração, que também era e o que custava, a conversa ate que estava agradável, mas lá tivemos que regressar a sala para ver a 2 parte do filme, assim que o filme acabou, ele me convidou para beber um copo, eu aceitei, pois já estava na suíça a 3 meses e andava farto de sair sempre sozinho, uma companhia não me ia fazer mal algum, e fomos para um café mesmo o lado do cinema. Começou a ficar tarde e achei melhor me vir embora, Arthur se propôs a me trazer a casa, pois o cinema era longe de minha casa, eu não quis aceitar mas ele tanto insistiu que acabei por ceder e aceitar a boleia, fomos a pé ate cada dele, pois ele morava a 5 minutos do cinema, subimos para ele pegar as chaves do carro, e assim que entramos em casa, ele me convida para beber mais um copo, eu não cria ser mal-agradecido, então aceitei. Sentamo-nos ma mesa da cozinha a beber uma cerveja, e logo ele começou a fazer perguntas intimas, perguntando se eu já tinha estado com outro homem, eu logo lhe disse se tinha sido por isso que ele me cria levar a casa. Senando com a cabeça que não, mas em tom envergonhado me disse, que estava a perguntar isso porque ficou curioso, eu ter dito que estava bem servido. Eu dei uma gargalhada e disse que não se preocupa-se que realmente estava bem servido de um belo mastro, que as verdades eram para se dizer, e logo sem que eu acaba-se a frase ele diz que gostaria de me beijar se eu permite-se. Eu não lhe respondi, aprocimei-me e levei minha boca perto da dele, deixando ele me beijar.

Arthur mete as mãos dele por trás de meu pescoço, e começou a me beijar com mais intensidade, a barba dele me roçava a cara, a língua dele quente e húmida se cruzava com a minha, eu sentia o calor dele em mim, a respiração cada vez mais forte, comecei a sentir uma sensação na minha barriga, uma ansiedade, acompanhada com muita excitação. Arthur deveria ter uns 100kg talvez mais, pois era um ligeiramente mais baixo que eu e fazia dois de mim, eu só com 50 kg para 1,67 cm de altura, ele talvez 1,65 cm. Arthur começa por me apalpar o cu, em quanto nos beijávamos, com a excitação eu nem dava conta, quando dei por mim já estávamos sem roupa da cinta para cima. Arthur levanta-se pegando em minha mão, leva-me para o quarto dele, a onde só tinha uma cama, uma cómoda, e uma Tv. das grandes, as roupas todas pelo chão, sentei-me na cama e ele ajoelhou-se a minha frente, com muita calma começou a me desapertar as calças, tirando-me o cinto, depois abrindo a calca, enfia a mão dentro das minhas cuecas e agarra-me o caralho com forca. Eu inclino-me para trás apoiando-me com as mãos no colchão deixando ele fazer o que estava a fazer. Assim que me tirou o caralho para fora, saltou para cima de mim, me empurrando para me deitar na cama.

Ele é muito barrigudo, homem de muito pelo no corpo o que me fazia uma certa confusão, mas sem saber como explicar, eu estava a gostar de sentir aquele homem gordinho e peludo em cima de mim, os pelos dele que me acariciavam o meu corpo, as nossas pernas que se cruzavam mutuamente. comecei a entrar em tamanha excitação que comecei apertar ele com mais forca, o puxando para mim cada vez mais, ele começou a sentir que eu estava a ficar em excitação e começa a se virar para baixo ficando com o caralho dele o dependura mesmo a frente de minha cara, senti que estava a pegar o meu caralho com a mão, e comecei a sentir algo macio e húmido na cabeça do meu caralho, logo senti os lábios macios dele que me apertavam as extremidades do meu caralho, começando assim a engolir, a língua dele me causava uma sensação de prazer a cada vez que me lambia a cabeça do caralho, o caralho dele que balouçava de um lado para o outro ali mesmo a cima do meu nariz, ele era muito peludo que mal dava para ver o caralhoo dele, então com a mão, pego-lhe pelos culhoes, trazendo a ponta do caralho dele a minha boca, começo com a língua a lamber a ponta da piroca dele, umas gotinhas de urina vinham dar um gostinho a baba do caralho dele, deslizando com a ponta da língua em sua cabecinha, o caralhocomeçou a ganhar volume, e lá sim voltei a ver aquele caralho grande que me tinha apercebido no WC do cinema, o caralho assim que ganhou volume, eu já não precisava de inclinar a cabeça, já o podia chupar a vontade, então engoli ele todo de uma vez só.

Começo a sentir o dedo dele que me acaricia o cu, eu soltei um gemido, lá ele sentiu que era uma permissão de minha parte, sai de cima de mim e mete-se de joelhos na cama eu logo me meti de gatas e continuei a chupar aquele belo caralho que tanto me enchia a boca, começando a me acariciar as costas deslizando a mão ate o meu cu. Arthur levanta-se dizendo-me que espera-se, sai do quarto e volta segundos depois, voltando com um saco na mão, Abreu e despeja tudo em cima da cama, tinha um vibrador, gel lubrificante, um chicote, uma cueca com abertura no cu e no caralho, eu logo achei piada e quis vestir essas cuecas, ficavam largas mas deixei-me estar com elas, logo ele me manda meter de quatro e logo senti algo fresco, era gel lubrificante, começou acariciar com o dedo no meu cu, passando bem o gel, fazendo alguma pressão, voltando a meter mais gel, senti o dedo que penetrava o meu cu, deslizando com facilidade ate que sentia sua mão bater nas minhas nádegas, voltou a lubrificar o meu cu e sentou-se na cama, passando o gel pelo caralho dele, olhando para mim com um sorriso matreiro, eu logo saltei para cima dele, encostei meu cu a ponta do caralho dele e lá quando estava a sentir a cabeça do caralho me penetrar o cu, Arthur pega-me pelos pés, puxando para ele com forca, não tive como evitar, e ficando sem apoios, meu corpo desceu, enfiando o caralho dele todo dentro de mim, senti aquela dor aguda me rasgando o cu, soltei um grito que mais parecia um gemido, ele a sorrir disse que adorava fazer isso.

Fiquei sentado a olhar para ele sem dizer uma única palavra, o caralho dele todo dentro de mim, sentindo a cabeça dele batendo nas paredes internas do meu cu, em quanto recuperava as forcas e folgo, só lhe disse que me estava a doer muito. ele diz que ia passar, que depois poderia fazer dele o que eu quisesse, eu sorri e beijei ele, sempre sentado no caralho dele, assim que comecei a beijar no meio de tanta excitação, comecei a cavalgar lentamente no caralho dele, cada vez mais rápido, ate que a dor já tinha passado, e só sentia o prazer do caralho dele que me penetrava e me massajava a próstata.

Assim que a dore começa a passar, vou cavalgando com mais excitação, sentindo seu caralho dentro de mim e minhas nádegas que fazem choque com o seu corpo peludo, mudamos de posição e ficamos deitados os dois na cama, ele por trás de mim volta-me a foder com aquele belo caralho me deixando cheio de fome no cucomo uma bela putinha, volta a me trocar de posição me metendo em posição frango aberto, me fodendo com tanta forca que eu já não sentia o meu cu, foi então que ele retirou o caralho do meu cu e me veio dar a chupar, assim que o meti na boca ele agarra-me pela cabeça, enfiando o caralho todo dentro de mim, sentia a cabeça do caralho na minha garganta me engasgando, mas ele sempre a forcar com as mãos, não me dando oportunidade de retirar a boca, senti então um jacto quente que me invadia a garganta, espurrou-se todo dentro da minha boca e de seguida me larga a cabeça, me deixando a vontade, chupei aquele caralho todo ate ficar bem limpo. Propondo-me que lhe fode-se também tivemos que parar por um tempo, pois ele me tinha fodido bem, me deixando sem forcas nas pernas, eu assim que me levantei sentia as pernas tremer estava bem cansado…

Yorum bırakın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir